segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Resumo de sociologia cap. 4 e 5 de Sociologia para o Ensino Médio de Nelson Tomazi

Na nossa sociedade no inicio a idéia de trabalho era vista como algo ruim (vil), e por isso muitas instituições deram uma ajuda para mudar esse pensamento.

A Igreja começou a condenar a preguiça como pecado e falar q só quem trabalhasse que seria abençoado.

Já as escolas influenciavam as crianças dando a idéia que o trabalho era fundamental para a sociedade.

Os lideres de estado começaram a fazer leis que penalizavam quem trabalhava, fazendo com que as pessoas que não tinham emprego eram considerados vagabundos.

O trabalho em si era dividido em dois processos de organização, a cooperação simples que eram mantidas as hierarquias onde o mestre fornece os matérias e estipula o tempo trabalhado e a manufatura que era a divisão na linha de montagem para que cada trabalhador se responsabilizar de uma parte.

Para o grande sociólogo Karl Max a divisão do trabalho só causaria a divisão das classes pois haveria uma classe dominante (os chefes ou patrões) e uma classe dominada (a dos operários).

Mais - valia foi um termo criado por Max para explicas as horas feitas a mais pelo operário para o lucro reverter para o chefe. Essa mais – valia se especializou formando a absoluta que foi o aumento nas horas de trabalho e a relativa que era a utilização de novas tecnologias. Tudo isso acontecia por causa de um ideal capitalista chamado acumulação de capitais em que quanto mais lucro melhor.

Essas injustiças feitas com os operários geraram varias revoltas.

Para Emile Durkheim a produção industrial moderna trouxe uma solidariedade e não um conflito. Essa solidariedade podia ser dividida em mecânica um que todos sabem fazer quase tudo e há a aceitação de seus ideais, crenças e costumes enquanto a solidariedade orgânica é a diversidade entre os indivíduos em que um depende do outro para fazer seu trabalho.

Emile diz que a interdependência feita pela divisão do trabalho leva a solidariedade. Para ele os vários conflitos envolvendo o capital eram devido à falta de instituições e normas integradas.

O Fordismo – taylorismo foi um tipo de divisão de trabalho mais detalhada cujo nome vem de Henry Ford, que implantou sua fabrica de veículos que foi um modelo para muitas indústrias. Esse modelo visa a produção em serie de um determinado produto. Ele gerou a jornada de trabalho de 8 horas por dia com salário de 5 dólares por dia.

Ele gerou o consumismo que era a produção e o consumo em massa, e grassas ao fordismo esse consumismo se espalhou por todos os setores produtivos.

Frederick Taylor propôs a implantação de princípios científicos na organização do trabalho, fazendo com que fordismo e taylorismo identificassem um único processo que é que o aumento da produtividade com o uso adequado de horas de trabalho, controle das divisões das atividades dos trabalhadores e sistema de recompensas e punições devido ao comportamento dos trabalhadores.

Nesse movimento foi gerado a valorização do processo produtivo e a impessoalidade das normas o que fez com que a especialização do trabalhador fosse deixado de lado pois o importante era o planejamento e a supervisão.

Elton Mayo, professor de Harvard criou medidas para evitar conflitos e promover o equilíbrio e a colaboração no interior das empresas pois o fordismo – taylorismo não se detinha em se preocupar com os empregados, fazendo com que houvesse a revalorização dos grupos de referencia dos trabalhadores evitando o desenraizamento dos operários.

Para concluir podemos dizer que Durkheim priorizar a consciência coletiva gerava um melhor entrosamento entre os trabalhadores e seus locais de trabalho, minimizando as revoltas e gerando a paz entre as classes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário